INSS

Salário Mínimo 2017

O reajuste referente ao salário mínimo 2017 em todo o país foi aprovado em 01.01.2017 e, conforme resolução da Lei nº 13.152/2015, a quantia do mínimo nacional agora é equivalente a 937,00 reais.

Se tratando de uma das medidas mais importantes do Governo Federal, todo ano as informações sobre salário mínimo e seu valor são aguardadas por mais de 40 milhões de trabalhadores do Brasil. No entanto, devido à crise econômica do país, o aumento de 6,47% do mínimo nacional em 2017 está entre os menores dos últimos anos.

Em 2016, o valor do salário mínimo era de R$880,00. Isso significa que, com o aumento de cerca de 6%, a União reajustou o mínimo nacional apenas para cobrir o índice de inflação do país. Isto é, embora o valor de 2017 do salário mínimo tenha aumentado em relação a quanto ganhava-se em 2016, o poder aquisitivo de cada trabalhador continua sendo o mesmo do ano anterior.

Com isso, não houve o que os economistas chamam de “aumento real” do salário mínimo.

salário mínimo 2017

Confira o Salário Mínimo 2017.

Histórico do Salário Mínimo Nacional

Para compreender o aumento do valor do Salário Mínimo Nacional 2017, é importante ter as informações do quanto se ganhava no Brasil nos anos anteriores. Confira:

– Salário Mínimo Nacional 2016: R$ 880,00
– Salário Mínimo Nacional 2015: R$ 788,00
– Salário Mínimo Nacional 2014: R$ 724,00
– Salário Mínimo Nacional 2013: R$ 678,00
– Salário Mínimo Nacional 2012: R$ 622,00
– Salário Mínimo Nacional 2011: R$ 545,00
– Salário Mínimo Nacional 2010: R$ 540,00
– Salário Mínimo Nacional 2009: R$ 465,00
– Salário Mínimo Nacional 2008: R$ 415,00
– Salário Mínimo Nacional 2007: R$ 380,00
– Salário Mínimo Nacional 2006: R$ 350,00
– Salário Mínimo Nacional 2005: R$ 300,00
– Salário Mínimo Nacional 2004: R$ 260,00
– Salário Mínimo Nacional 2003: R$ 240,00
– Salário Mínimo Nacional 2002: R$ 200,00
– Salário Mínimo Nacional 2001: R$ 180,00
– Salário Mínimo Nacional 2000: R$ 151,00

Além do Salário Mínimo Nacional 2017, também há o reajuste do Salário Mínimo Regional 2017. No entanto, atualmente apenas 5 estados brasileiros (Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina e São Paulo) proporcionam o mínimo regional para os trabalhadores que estão situados em seu território.

Nesse aspecto, é importante saber que o valor do Salário Mínimo Regional nunca pode ser inferior ao valor estabelecido pelo Salário Mínimo Nacional e que, nos demais estados, continua valendo o nacional.

Salário Mínimo Regional 2017

Nos estados do Brasil em que foi instituído o salário mínimo regional, empregadores e empresas tem a obrigação de pagar o piso regional, e esse sempre deverá ser superior ao piso nacional. Essa tabela varia de Estado para Estado, de acordo com as finanças de cada Governo e com os anseios populares de cada região. Confira abaixo os pisos salariais regionais de cada estado:

Piso Salarial do Estado do Paraná: 

Faixa I – R$ 1.223,20 para os Trabalhadores Agropecuários, Florestais e da Pesca, correspondentes ao Grande Grupo 6 da Classificação Brasileira de Ocupações;

Faixa II – R$ 1.269,40 para os Trabalhadores de Serviços Administrativos, Trabalhadores dos Serviços, Vendedores do Comércio em Lojas e Mercados e Trabalhadores de Reparação e Manutenção, correspondentes aos Grandes Grupos 4, 5 e 9 da Classificação Brasileira de Ocupações;

Faixa III – R$ 1.315,60 para os Trabalhadores da Produção de Bens e Serviços Industriais, correspondentes aos Grandes Grupos 7 e 8 da Classificação Brasileira de Ocupações;

Faixa IV – R$ 1.414,60 para os Técnicos de Nível Médio, correspondentes ao Grande Grupo 3 da Classificação Brasileira de Ocupações.

Piso Salarial do Estado do Rio Grande do Sul:

Faixa I – R$ 1.103,66 para os trabalhadores na agricultura e na pecuária; nas indústrias extrativas; em empresas de captação do pescado (pesqueira); empregados(as) domésticos(as); em turismo e hospitalidade; nas indústrias da construção civil; nas indústrias de instrumentos musicais e de brinquedos; em estabelecimentos hípicos; empregados motociclistas no transporte de documentos e de pequenos volumes – “motoboy”, empregados em garagens e estacionamentos.

Faixa II – R$ 1.129,07 para os trabalhadores nas indústrias do vestuário e do calçado; nas indústrias de fiação e de tecelagem; nas indústrias de artefatos de couro; nas indústrias do papel, papelão e cortiça; em empresas distribuidoras e vendedoras de jornais e revistas e empregados em bancas, vendedores ambulantes de jornais e revistas; empregados da administração das empresas proprietárias de jornais e revistas; empregados em estabelecimentos de serviços de saúde; empregados em serviços de asseio, conservação e limpeza; e nas empresas de telecomunicações, teleoperador (call-centers), “telemarketing”, “call-centers”, operadores de “voip” (voz sobre identificação e protocolo), TV a cabo e similares; empregados em hotéis, restaurantes, bares e similares.

Faixa III – R$ 1.154,68 para os trabalhadores nas indústrias do mobiliário; nas indústrias químicas e farmacêuticas; nas indústrias cinematográficas; nas indústrias da alimentação; empregados no comércio em geral; empregados de agentes autônomos do comércio; empregados em exibidoras e distribuidoras cinematográficas; movimentadores de mercadorias em geral; no comércio armazenador; auxiliares de administração de armazéns gerais.

Faixa IV – R$ 1.200,28 para trabalhadores nas indústrias metalúrgicas, mecânicas e de material elétrico; nas indústrias gráficas; nas indústrias de vidros, cristais, espelhos, cerâmica de louça e porcelana; nas indústrias de artefatos de borracha; em empresas de seguros privados e capitalização e de agentes autônomos de seguros privados e de crédito; em edifícios e condomínios residenciais, comerciais e similares; nas indústrias de joalheria e lapidação de pedras preciosas; auxiliares em administração escolar (empregados de estabelecimentos de ensino); empregados em entidades culturais, recreativas, de assistência social, de orientação e formação profissional; marinheiros fluviais de convés, marinheiros(as) fluviais de máquinas, cozinheiros(as) fluviais, taifeiros fluviais, empregados em escritórios de agências de navegação, empregados em terminais de contêineres e mestres e encarregados em estaleiros; vigilantes; marítimos do 1º grupo de Aquaviários que laboram nas seções de Convés, Máquinas, Câmara e Saúde, em todos os níveis (I, II, III, IV, V, VI, VII e superiores);

Faixa V – R$ 1.398,65 para trabalhadores técnicos de nível médio, tanto em cursos integrados, quanto subsequentes ou concomitantes.

Piso Salarial do Estado do Rio de Janeiro:

Faixa I – R$ 1.136,53 para Trabalhadores agropecuários; empregados domésticos; trabalhadores de serviços de conservação e manutenção; auxiliar de serviços gerais e de escritório; guardadores de veículos, entre outros.

Faixa II – R$ 1.178,41 para Trabalhadores da construção civil; carteiros; motoristas de ambulância; cozinheiros; operador de caixa; cabeleireiros e manicures; motoboys; comerciários; pintores; pedreiros; garçons, entre outros.

Faixa III – R$ 1.262,20 para Soldadores; condutores de veículos de transportes; porteiros; secretários; telefonistas e operadores de telemarketing; eletricistas; frentistas; bombeiros civis; auxiliares de enfermagem, entre outros.

Faixa IV – R$1.529,26 para Técnicos em enfermagem; trabalhadores de nível técnico registrados nos conselhos de suas áreas; técnicos em farmácia; técnicos em laboratório; bombeiro civil líder, entre outros.

Faixa V – R$2.306,45 para Professores de Ensino Fundamental (1° ao 5° ano, regime 40h); técnicos de eletrônica; intérprete de Libras; técnicos de segurança do trabalho; técnico de instrumentação cirúrgica, entre outros.

Faixa VI – R$2.899,79 para Contadores; psicólogos; fisioterapeutas; sociólogo; assistentes sociais; biólogos; nutricionistas; bibliotecários; enfermeiros, entre outros.

Piso Salarial do Estado do Santa Catarina:

Faixa I – R$ 1.078,00 para agricultura e pecuária;  indústrias extrativas e beneficiamento;  empresas de pesca e aquicultura; empregados domésticos; indústrias da construção civil; indústrias de instrumentos musicais e brinquedos; estabelecimentos hípicos; empregados motociclistas, motoboys e do transporte em geral, exceto os motoristas.

Faixa II – R$ 1.119,00 para indústrias do vestuário e calçado; indústrias de fiação e tecelagem; indústrias de artefatos de couro; indústrias do papel, papelão e cortiça; empresas distribuidoras e vendedoras de jornais e revistas e empregados em bancas, vendedores ambulantes de jornais e revistas; empregados da administração das empresas proprietárias de jornais e revistas; empregados em estabelecimentos de serviços de saúde; empregados em empresas de comunicações e telemarketing; indústrias do mobiliário.

Faixa III – R$ 1.179,00 para indústrias químicas e farmacêuticas; indústrias cinematográficas;  indústrias da alimentação; empregados no comércio em geral; empregados de agentes autônomos do comércio.

Faixa IV – R$ 1.235,00 para indústrias metalúrgicas, mecânicas e de material elétrico; indústrias gráficas; indústrias de vidros, cristais, espelhos, cerâmica de louça e porcelana; indústrias de artefatos de borracha; empresas de seguros privados e capitalização e de agentes autônomos de seguros privados e de crédito; edifícios e condomínios residenciais, comerciais e similares, em turismo e hospitalidade; indústrias de joalheria e lapidação de pedras preciosas; auxiliares em administração escolar (empregados de estabelecimentos de ensino); empregados em estabelecimento de cultura; empregados em processamento de dados; empregados motoristas do transporte em geral.

Piso Salarial do Estado do São Paulo:

Faixa I – R$ 1.076,20 para os trabalhadores domésticos, serventes, trabalhadores agropecuários e florestais, pescadores, contínuos, mensageiros e trabalhadores de serviços de limpeza e conservação, trabalhadores de serviços de manutenção de áreas verdes e de logradouros públicos, auxiliares de serviços gerais de escritório, empregados não especializados do comércio, da indústria e de serviços administrativos, cumins, barboys, lavadeiras, ascensoristas, “motoboys”, trabalhadores de movimentação e manipulação de mercadorias e materiais e trabalhadores não especializados de minas e pedreiras, operadores de máquinas e implementos agrícolas e florestais, de máquinas da construção civil, de mineração e de cortar e lavrar madeira, classificadores de correspondência e carteiros, tintureiros, barbeiros, cabeleireiros, manicures e pedicures, dedetizadores, vendedores, trabalhadores de costura e estofadores, pedreiros, trabalhadores de preparação de alimentos e bebidas, de fabricação e confecção de papel e papelão, trabalhadores em serviços de proteção e segurança pessoal e patrimonial, trabalhadores de serviços de turismo e hospedagem, garçons, cobradores de transportes coletivos, barmen, pintores, encanadores, soldadores, chapeadores, montadores de estruturas metálicas, vidreiros e ceramistas, fiandeiros, tecelões, tingidores, trabalhadores de curtimento, joalheiros, ourives, operadores de máquinas de escritório, datilógrafos, digitadores, telefonistas, operadores de telefone e de “telemarketing”, atendentes e comissários de serviços de transporte de passageiros, trabalhadores de redes de energia e de telecomunicações, mestres e contramestres, marceneiros, trabalhadores em usinagem de metais, ajustadores mecânicos, montadores de máquinas, operadores de instalações de processamento químico e supervisores de produção e manutenção industrial.

Faixa II – R$ 1.094,50 para os administradores agropecuários e florestais, trabalhadores de serviços de higiene e saúde, chefes de serviços de transportes e de comunicações, supervisores de compras e de vendas, agentes técnicos em vendas e representantes comerciais, operadores de estação de rádio e de estação de televisão, de equipamentos de sonorização e de projeção cinematográfica.

Salário de Empregada Doméstica 2017

As domésticas possuem salário regulamentado a nível estadual em 5 estados Brasileiros: Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul – estados onde existe regulamentação de salário mínimo regional. Nesses estados, as empregadas domésticas têm direito a serem remuneradas de acordo com a tabela abaixo:

Salário Mínimo Federal: R$ 937,00

Rio de Janeiro: R$ 1.136,53

São Paulo: R$ 1.078,00

Paraná: R$ 1.269,40

Santa Catarina: R$ 1.009,00

Rio Grande do Sul: R$ 1.103,66

Deixe o seu Comentário